Mais conectados. Mais conteúdo. Muito mais Nova Veneza.

Nova Veneza recebe Seminário Regional dos conselheiros tutelares

O encontro aconteceu no Teatro Municipal, em Nova Veneza.

Em comemoração aos 27 anos dos Diretos da Criança e Adolescente neste dia 13 de julho, os conselheiros tutelares da AMREC, AMESC e AMUREL participaram do Seminário Regional com o tema: “Conselheiros Tutelares e Conselheiros de Diretos, unidos protegendo crianças e adolescentes”, no Teatro Municipal, em Nova Veneza.

 

O curador da Infância e Juventude da 8ª Promotoria de Justiça da Comarca de Criciúma, Marco Vieira falou sobre “A autonomia e as atribuições dos conselheiros tutelares” e o Juiz de Direito da Vara da Infância e da Juventude, Geancarlo Bremer Nones abordou sobre “Adolescente e conflito com a lei”.

 

“Eu preciso fortalecer os conselheiros tutelares. E tornar um órgão forte. A partir do momento que vocês assumirem posturas relacionadas ao artigo 133 do Estatuto da Criança e Adolescente serão um colegiado, um órgão forte e terão autonomia para defender a causa da criança e adolescente”, comenta promotor da 8ª Promotoria de Justiça da Comarca de Criciúma, Marco Vieira.

 

O Juiz de Direito da Vara da Infância e da Juventude, Geancarlo Bremer Nones enalteceu a causa apaixonante pela luta dos diretos da criança e adolescente. “Vocês conselheiros tutelares sabem o tamanho do desafio que nós temos. O Estatuto da Criança e adolescente completa hoje 27 anos, é um ano a mais do que a Politica Nacional do bem estar do menor. É um momento importante para refletirmos porque não se consegue avançar, consolidar os direitos da criança e adolescente seja no reconhecimento efetivo do protagonismo deles na sociedade. A importância da participação da criança e do adolescente nas sessões que lhe digam respeito, esta intimamente ligada na ideia deles reconhecerem como sujeito, tem leis, tem autonomia e por conta disso, tem suas responsabilidades como qualquer cidadão”

 

O prefeito de Nova Veneza enalteceu a importância dos conselheiros tutelares para os municípios. “Não é uma missão fácil. A missão do conselheiro tutelar é uma missão árdua, mas de grande relevância para nossa sociedade na garantia dos direitos da criança e do adolescente. E nós como gestores públicos temos a obrigação de dar todo o apoio, toda estrutura, tudo o que for necessário para garantir o trabalho – o bom trabalho, o bom desempenho dos conselheiros tutelares”, afirma.

Agenda cultural