Mais conectados. Mais conteúdo. Muito mais Nova Veneza.

Outono

Muita coisa a ser dita, uma confusão se instala. 

Os sentimentos jazem amargurados.

Olhos rasos d’água,

E a boca ávida dos beijos que deseja.

Distante a paisagem definha

Sem perceber que não a componho mais.

A espera insiste,

Os dias tão longos fazem parecer que  na noite ainda tem sol.

A dor me emudece, se espalha pelo corpo pálido

E banhado de lágrima e chuva.

Há pássaros por onde passo, são minha companhia.

O outono e suas folhas  povoam com tantas nuances meus olhos sem cor

O inverno está a minha espera, numa tentativa de me fazer feliz.

Assim como eu estou à espera de um abraço também.

 

Alexandra Boaroli

 

Agenda cultural